quinta-feira, dezembro 02, 2010

Nem sempre o corpo se parece



Nem sempre o corpo se parece com
um bosque, nem sempre o sol
atravessa o vidro,
ou um melro cante na neve.
Há um modo de olhar vindo
do deserto,
mirrado sopro de folhas,
de lábios, digo.

Eugénio de Andrade

Imagem retirada do Google

3 comentários:

Fatyly disse...

Um belo poema e a imagem é linda.

Parabéns pelo dia de hoje e que se repitam por muitos e muitos anos.

Beijocas

Observador disse...

Wind (Isabel)

E que tal se nos juntássemos a Eugénio de Andrade e, mesmo em forma de poesia, te dessemos os parabéns?

Beijocas e muitas felicidades.

;)

Paula Raposo disse...

Eugénio de Andrade é sempre uma óptima escolha!
Muitos parabéns pelo dia de hoje e que se repita por muitos e muitos anos.
Beijinhos.